Dia Mundial da Água: 22 de Março, uma homenagem da servidora da Bacia do Médio Tietê (BMT): Ana Teresa Demambre Bacchi.

22/03/2012 às 13:49 | Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário
Tags: , ,

Ana Teresa Demambre Bacchi, 50 anos, trabalha na Bacia do Médio Tietê (BMT), sede de Piracicaba, desde a sua admissão, em 18/03/2002, como Secretária do Diretor da Bacia e também como apoio administrativo ao Secretário-executivo dos Comitês PCJ, mais especificamente na prestação de contas de custeio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) e na organização de eventos dos Comitês PCJ (Piracacicaba, Capivari e Jundiai).

Com formação na área da saúde, quase sempre atuou em áreas administrativas, tendo trabalhado anteriormente ao DAEE na Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), por 13 anos. Lembra que ao iniciar na BMT foi muito bem recebida por todos os funcionários, alguns já aposentados e aproveita a oportunidade para fazer um agradecimento especial ao Diretor da BMT, Eng.º Dr. Luiz Roberto Moretti e à Eng.ª Patrícia Gobet de Aguiar Barufaldi que muito contribuíram para o seu desenvolvimento profissional, dentro do DAEE.

Ana Teresa acredita que o Setor Administrativo é uma rotina de bastidores, de fundamental importância, não aparecendo o seu resultado de imediato, porém, mostra a sua qualidade na conclusão dos trabalhos. A sua maior motivação no DAEE é saber que faz parte de uma equipe bem integrada de funcionários comprometidos com o órgão, que trabalha em prol da melhoria do meio ambiente, mais especificamente na área dos recursos hídricos, preservando um bem natural essencial à vida, a ÁGUA, cuja comemoração se faz, mundialmente, no dia 22 de março. Continue Reading Dia Mundial da Água: 22 de Março, uma homenagem da servidora da Bacia do Médio Tietê (BMT): Ana Teresa Demambre Bacchi….

Festas de Confraternização – Uma “ferramenta” de melhoria do clima na organização – Fotos antigas de uma festa na DOF.

04/03/2011 às 17:31 | Publicado em Sem categoria | 1 Comentário
Tags: ,

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde sempre, as festas de confraternização sempre foram presentes nas empresas, sejam elas públicas ou privadas. Festas de Natal, com amigo secreto (ou amigo oculto como no RJ); festas de aniversariantes do mês, festas de despedida, de aposentadoria, e tantos outros motivos sempre estiveram presentes para justificá-las.  

Afinal é uma boa forma das pessoas se aproximarem, quebrar o gelo, conhecer o outro lado daquela pessoa tão chata e às vezes tão rigorosa no dia a dia das empresas, se integrarem, rir, etc., tanto é que isto sempre foi, senão incentivado, pelo menos nunca ninguém proibiu, ou disse que não poderia ser feito, principalmente, quando na maioria das vezes ocorrem ao final do expediente ou mesmo após o término dele. Neste caso às vezes até aparece uma matéria nna TV (Fantástico) ou em outras publicações de mídia (revistas), com o tema: “Como se comportar na festa de final de ano da sua empresa”. Isto tudo para evitar que algum “mico” cometido, fique sendo lembrado o ano todo seguinte, com muitas piadinhas sem graça e constrangimentos ao “infeliz” ou “desafortunado” que o cometeu.   

Mas micos a parte, as festas de confraternização são uma forma de melhorar o clima organizacional, integrar as pessoas, trazer alegria e descontração ao ambiente de trabalho, e além de tudo prestigiar aqueles que labutam e se dedicam as atividades da organização.

No DAEE não poderia ser diferente e é comum vermos ao final do ano diversas festas nas unidades do interior e capital ocorrendo simultaneamente, nos locais de trabalho, restaurantes, em chácaras alugadas, clubes aos finais de semana, etc. Fica até difícil escolher aonde ir, pois todas são ótimas, regadas normalmente a um bom churrasco, conversa animada, música, etc. É festa em Marília, Ribeirão, Rio Preto, Taubaté, Parque Ecológico, CTH e tantas outras, além obviamente da festa realizada pela sede num Buffet na região do Itaim, que ocorre a noite, quase sempre próximo a data de aniversário do DAEE, ou seja, 12 de dezembro.

Mas porque este assunto: festas, trabalho, confraternização???

Na realidade durante a entrevista com Sr. Silvio Campardo, (matéria neste blog), este gentilmente nos cedeu  às fotos da sua festa de despedida do DAEE, ocorrida em  1973, quando sairia para atuar junto a Secretaria da Fazenda, situação que não se concretizou, pois acabou indo e voltando.  

Os amigos da Diretoria Financeira – DOF, onde atuava, fizeram uma festa de despedida Continue Reading Festas de Confraternização – Uma “ferramenta” de melhoria do clima na organização – Fotos antigas de uma festa na DOF….

Departamento de Águas e Energia Elétrica completa 59 anos em Dezembro de 2010 – Homenagem aos Pioneiros e a Linha do Tempo

13/12/2010 às 14:05 | Publicado em DAEE - Histórico | Deixe um comentário
Tags:

Neste mês que o DAEE, completa 59 anos de existência, resolvemos comemorar a data fazendo uma matéria sobre o histórico da instituição e suas ações e obras ao longo do tempo e uma homenagem aos pioneiros que atuaram na Autarquia.

Sancionado pelo Exmo Governador Dr. Lucas Nogueira Garcez, o Decreto 1350 de 12 de Dezembro de 1951, criou e organizou o DAEE, estabelecendo de acordo com  a lei suas competências: 

Artigo 1.º – Fica criado o Departamento de Águas e Energia Elétrica – D.A.E.E. – entidade autárquica,.com personalidade jurídica, sede e fora na cidade de São Paulo, com autonomia administrativa e financeira nos limites estabelecidos por esta lei, sob tutela administrativa da Secretaria da Viação e Obras Públicas e sob a tutela econômico-financeiro da Secretaria da Fazenda.

Parágrafo único – O Departamento de Águas e Energia Elétrica gozará inclusive o que se refere a seus bens, rendas e serviços das regalias, privilégios e imunidades conferidas à Fazenda Estadual, bem assim as mesmas vantagens nos demais serviços públicos estaduais.

A partir do artigo  2.º – fixa as suas competências do órgão público que se tornaria importante e com vasta atuação no estado de São Paulo ao longo dos anos.

Ainda no Diário Oficial de 30/12/1951 o Governador no uso de suas atribuições nomeia o Eng. Octavio Ferraz de Sampaio, para o cargo de Diretor Geral do DAEE. Êle foi portanto nosso primeiro Superintendente – denominação atual.

Através  do Ato (acho que o mesmo que portaria hoje) de 16/12/1951, nomeia os primeiros pioneiros servidores que executariam as atribuições da organização. São eles: Engenheiros: Mario Campos de Cerqueira Leite, Augusto Loyollis de Oliveira, Silvio José de Almeida Pires, José Patrima da Silva, entre tantos outros que podem ser observados no anexo abaixo, copia do Diário Oficial da época, além de documentos interessantes e históricos que retratam os meios de transportes utilizados para a realização dos serviços, ou seja o trem e,  a forma que o Estado autorizava o uso pelos servidores públicos.     

Além destes documentos históricos, segue abaixo a Linha do Tempo sobre as obras e ações realizadas pelo DAEE, no Estado.

Esta ferramenta: Linha do Tempo,  foi utilizada  no II Encontro dos Aposentados em 2009 onde estes discutiam sobre as ações realizadas no tempo e espaço e sua atuação como protagonistas desta história, além de ser utilizado na integração com servidores recém admitidos para terem noção das obras realizadas pela Autarquia onde iriam atuar. Ajudaram a construir a linha do Tempo, os Engenheiros: Dr. Arnaldo Pereira da Silva, Ex-Superintendente do DAEE, Ricardo Borsari – Diretor do CTH e UGP na época e José Carlos Pissaia, atual Presidente da Cooperhidro. 

 Linha do Tempo DAEE – 1938 – 2009 

A idéia de aproveitamento múltiplo dos recursos hídricos de uma bacia hidrográfica relacionado com o desenvolvimento regional integrado surgiu em 1933 nos Estados Unidos. A primeira experiência que se tem noticia  no Estado de São Paulo foi ligada ao Vale do Rio Paraíba do Sul. Após a época áurea do café o governo paulista começou a preocupar-se com a recuperação da agricultura regional que era responsável por 37% da produção agrícola do Estado e estava produzindo apenas 5%. Em 1938 a Secretaria de Agricultura buscou restabelecer a condição do Vale e criou o Serviço de Melhoramentos do Vale do Paraíba, que foi o precursor do DAEE.

 1938

 Criação do Serviço de Melhoramentos do Vale do Paraíba,responsável em restabelecer a condição econômica do Vale do Paraíba e que foi precursor do DAEE.

 1951

A idéia de promover o desenvolvimento através do aproveitamento múltiplo dos recursos hídricos foi tomando corpo e culminou com a criação do DAEE, para coordenar e fiscalizar a implantação dos planos de aproveitamento múltiplo dos recursos hídricos das bacias dos rios Tiete, Paraíba e Ribeira. Na época era governador o Eng. Lucas Nogueira Garcez e foi o primeiro Diretor Geral o Eng. Octávio Ferraz Sampaio.

1953

Através do Serviço do Vale do Paraíba foi concluído o primeiro plano de regularização do Rio Paraíba do Sul com ênfase ao aproveitamento de suas águas e várzeas, iniciando construção de diques ao longo do rio.

1959

Criação do Serviço de Eletrificação Rural com grupos de consumidores rurais organizados e assessorados pelo DAEE que deveriam construir suas próprias instalações e sistema que seria interligado ao da concessionária local.

Implantação das Cooperativas de Eletrificação Rural.

1960

Contratação do Plano Diretor de Aproveitamento Múltiplo das Bacias do Alto Tietê/Cubatão – Plano Hidrace considerado o mais completo instrumento de planejamento de aproveitamento dos recursos hídricos da época, sendo que as últimas obras para controle das enchentes previstas no Plano estão sendo executadas até hoje

1964

Inicio de implantação do Plano Hidrace que contemplava entre outros a construção de barragens regularizadoras nas cabeceiras do Rio Tietê e afluentes e a retificação e desassoreamento dos rios Tiete, Tamanduateí e Pinheiros.

1968

Formada a Comissão Permanente das Águas – CPA que assumiu os serviços até então desenvolvidos e implantados pelo Instituto Geográfico e Geológico, iniciando a manutenção e ampliação da rede hidrológica básica de medição e leitura com postos pluviométricos, fluviométricos, pluviográficos e  fluviográficos.

1970

Primeira modificação do arranjo organizacional com a introdução do Centro Tecnológico de Hidráulica – CTH com desenvolvimento de trabalhos relacionados à engenharia hidráulica.

1973 Continue Reading Departamento de Águas e Energia Elétrica completa 59 anos em Dezembro de 2010 – Homenagem aos Pioneiros e a Linha do Tempo…

O “Grupo Tarefa” e um certo peixe (e servidor) chamado Mandi

10/05/2010 às 23:51 | Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário
Tags: , ,

João Aberto Perez Theotônio, nosso servidor apelidado com nome de um peixe: “Mandi”, não condiz com aquilo que retiramos de alguns sites sobre pescaria, que informa:  “Esse peixe é  onívoro, alimenta-se de peixes, invertebrados, frutos/sementes e detritos. Vive nos remansos das margens dos rios. Na Amazônia, é um peixe muito comum na beira dos rios. Como é facilmente capturado com anzol, é importante para a pesca de subsistência. Mesmo sendo um peixe pequeno, por causa da sua abundância, é muito encontrado em mercados e feiras. Esse peixe deve ser manuseado com cuidado, porque os espinhos das nadadeiras dorsal e peitorais podem causar  ferimentos dolorosos.

O nosso “Mandi” é uma daquelas pessoas gostosas de conversar.  Tranqüilo, conversa pausada, com jeitão confiável, muito religioso, gosta de ajudar o próximo, tem uma risada forte e engraçada, difícil de não parar para prestar atenção, enfim alguns traços típicos de morador do interior.  Conhecido pelo apelido de “Mandi” foi admitido no DAEE em 02/08/1973, para atuar como auxiliar agropecuário, na unidade de Registro – Vale do Ribeira. Seu trabalho consistia no levantamento da linha fisiométrica e medição de nível da água nos canais e rios da região, para implantação posterior dos canais de irrigação.

Este trabalho de hidrologia foi muito importante para a região do Vale do Ribeira. A cidade com moradores na sua maioria orientais, naquela época produzia e incentivava as plantações de chá, banana e arroz. A população dependia destes canais abertos pelo DAEE,  para poder irrigar suas plantações e conseqüentemente  comercializá-las no Estado. O trabalho realizado pelo DAEE auxiliou a produção rural da região, que cresceu e se desenvolveu em virtude destas atividades.  

Segundo Mandi, seu chefe na época o Engº. Luis K. Shibata (já falecido) era um excelente gestor de pessoas, pois quando necessário chamar a atenção de algum funcionário, o chamava para um bate papo, em particular, sempre longe dos demais colegas e ao final este servidor saia até agradecendo suas orientações, de tão boas que eram. 

Mandi lembra com muito orgulho do trabalho realizado pelo DAEE, do qual ele fazia parte: o “Grupo Tarefa”. Tudo começou com um levantamento feito por um grupo formado por diversas equipes multidisciplinares composta por técnicos do DAEE, do extinto DOP e da Secretaria do Planejamento, que saíram a campo e levantaram os problemas e necessidades dos municípios do Estado para posterior atendimento. Depois de levantadas as necessidades e os pedidos das prefeituras, ao DAEE couberam os desassoreamentos e a limpeza dos rios, as canalizações, execução de galerias, etc., e tudo o mais que estivesse dentro de sua atribuição e competência, sempre de acordo com as necessidades levantadas e solicitação do município. Eram equipes de execução compostas basicamente por um motorista, operadores e os técnicos necessários, coordenados por um engenheiro, e que utilizavam aqueles caminhões antigos e máquinas, de cor amarela, característica típica desta atividade realizada com muita competência e eficácia pelo DAEE na época.

Segundo Mandi bons “tempos aqueles”, onde o trabalho era pesado, mas a equipe integrada e eficiente, e o resultado muito importante para o município, um trabalho bom e gratificante de fazer. Na realidade aquele foi um trabalho precursor daquilo que o DAEE faz até hoje atuando nos municípios, cedendo servidores e máquinas para obras e tarefas ligadas a recursos hídricos.  

Mandi é formado em Ciências Biológicas, foi professor por mais de 20 anos na rede pública, conciliando o trabalho do DAEE e o magistério no período da noite. Atuando no DAEE há mais de 37 anos, de 1976 até hoje  está na Unidade de Novo Horizonte. Atua na área administrativa auxiliando o Diretor da unidade. Tem uma pequena propriedade rural, onde planta: pupunha (palmito), seringueira (látex) e tem ainda umas poucas cabeças de gado. Atuou com profissional agrícola desde o inicio de sua caminhada profissional e continua nela até hoje.

Segundo alguns amigos mais próximos que conhecem bem nosso amigo Mandi, este sempre foi muito trabalhador, porém na época que foi admitido um “pouco ingênuo”. Teve um caso engraçado, relembrado por outro Continue Reading O “Grupo Tarefa” e um certo peixe (e servidor) chamado Mandi…

A história, trajetória e informações sobre o DAEE pesquisados pela DRH.

14/11/2009 às 3:01 | Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário
Tags:
A Diretoria de Recursos Hídricos – DRH, apesar do número reduzido de técnicos, ainda mantém o espírito de pesquisa sobre tudo que diz respeito às nossas águas. Assim, após uma incansável busca pela Internet sobre as origens do DAEE deparou-se com um fato pouco conhecido pela nossa comunidade daeeana.
Sabiam nossos colegas que em 1951 o nobre Governador Lucas Nogueira Garcez criou em sua gestão o Departamento de Águas e Esgotos, nosso querido DAEE?
“E vero”, isto está na Galeria dos Governadores do Estado de São Paulo, no Portal do Governo, Conheça SP, História no endereço http://www.galeriadosgovernadores.sp.gov.br/03galeria/galeria.htm#18.
Ainda bem que a Wikipédia no endereço http://pt.wikipedia.org/wiki/Lucas_Nogueira_Garcez e em outras fontes dão que o Governador Garcez criou o Departamento de Águas e Energia Elétrica – DAEE
O DAEE foi criado em 12/12/1951 através da Lei no 1.350. Aliás, na Revista Água e Energia de novembro de 1998, em História, há um artigo muito interessante falando do DAEE intitulado “Um pouco do passado, presente e futuro” escrito por Jose Bernardo Ortiz e Arnaldo Pereira da Silva.No site do DAEE em Acervos e Pesquisas se encontra a Revista com o citado artigo. Veja no endereço abaixo http://www.daee.sp.gov.br/cgi-bin/Carrega.exe?arq=/acervoepesquisa/relatorios/revista/raee9810/hist.html .
 Portanto, resumindo o passado e falando do presente: 
•Criado em 1951, o DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica – é uma Autarquia (entidade subsidiada ao tesouro do Gov. do Estado de São Paulo) vinculada à Secretaria de Saneamento e Energia. Continue Reading A história, trajetória e informações sobre o DAEE pesquisados pela DRH….

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.