Uma mulher de muitas competências e facetas na sua evolução pessoal e profissional: Suraya Modaelli.

05/12/2014 às 12:18 | Publicado em Sem categoria | 1 Comentário
Tags: , , ,

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entrevistamos Suraya Modaelli, em 2013, setembro aproximadamente, ela nos recebeu muito bem em Marilia, afinal além de excelente profissional, também é uma boa anfitriã, recebendo a todos que vão até a Diretoria da Bacia do Peixe Paranapanema/BPP com muito carinho e atenção. Desde nossa conversa muita coisa mudou na sua vida, porém os aspectos citados acima continuam iguais.

A nossa entrevistada, é persistente e determinada. Nascida em 26 de janeiro, esta aquariana, é agradecida pelo que conquistou na sua jornada pessoal e profissional. É filha do ex-funcionário Sr. Darge Damas de Oliveira (aposentado da área de contabilidade do DAEE) e da Sra. Conceição Oliveira e irmã da Sra. Katia Rossana de Oliveira (Diretora da SUP/CGE).

Suraya tem a grata satisfação de estar casada, com nosso também amigo Mário Luiz Modaelli, brinca que os 28 anos de união tornam-se 56, tal a cumplicidade e o tempo que desfrutam juntos, no trabalho e em casa.

Modaelli, o Mario, é o responsável pela área administrativa da BPP Marilia, é um excelente servidor, que está ha tempos no DAEE e na Unidade de Marília. Ele juntamente com a família faz parte de um grupo que, destemidamente foram morar e ajudar a montar as unidades do DAEE do interior, isto quando ninguém sabia bem qual o futuro teriam lá. Atrevidos e ousados, abriram caminhos para os demais, largaram uma vida estável em São Paulo, para tentar a sorte no interior. O saldo desta mudança foi positivo e, parte do que as bacias e unidades do DAEE prosperaram e cresceram se deve a estes grupos.

Suraya orgulha-se ao dizer que é mãe de dois filhos: o filho Mário Luiz (Marinho), com 25 anos, médico-pediatra e a filha Jaqueline, 23 anos, pós-graduada na área de administração de empresas.

Desde quando foi admitida, em 1981, para atuar com o engenheiro Astor Dias de Andrade (hoje, lotado na BMT Campinas), junto à antiga DP – Diretoria de Planejamento, sempre teve a oportunidade de trabalhar com grandes técnicos, como Flávio Terra Barth, Eliseu Itiro Ayabe e Hiroaki Makibara.

Recorda-se, neste momento, que Mario Modaelli, Responsável pelo RH da área naquela ocasião, foi quem a entrevistou e aprovou a sua contratação. O destino começa a lhe pregar uma peça (rsrsrs).

Já no Governo Montoro, trabalhou com Rodolfo Gurgueira Pedro, na área da Diretoria de Administração e Finanças e, na sequencia, junto à área de expediente da Chefia de Gabinete, com Jair Gilberto de Oliveira e Jaine dos Santos Mendes Kom. Em seguida, passou a secretariar o Superintendente, Waldemar Sândoli Casadei, na ocasião. Toda esta evolução foi acontecendo naturalmente, mas um tanto rápido (1981/1985), inclusive no casamento , Suraya lembra que em menos de um ano ela e o Modaelli namoraram, noivaram e se casaram.

Era o ano de 1985, muitas mudanças no DAEE, politicas, estruturais, surgimento das Diretorias de Bacias, descentralização, foi ai que surgiu a oportunidade de trabalharem em Marilia,

exatamente no momento da fundação da sede da Diretoria da Bacia do Peixe-Paranapanema.
O convite foi feito pelo engenheiro Denis Emanuel de Araújo, hoje Diretor da BPP, que já era amigo do Mário, o que facilitou a decisão da mudança.

Já mais envolvida nas lembranças, Suraya dá mais detalhes de sua escalada pessoal e profissional: foi admitida no DAEE como “estagiária” quando cursava Comunicação Social. Ela ressalta que abraçou todas as oportunidades que lhe surgiram e, quanto às chances lhe faltaram, “arregaçou as mangas” e foi buscá-las. Muito ativa, dinâmica e concentrada nos trabalhos que lhe foram confiados, conta que sempre buscou dar o melhor de si, o seu comprometimento íntegro. Como disse inicialmente, teve a oportunidade de obter grandes conhecimentos com “grandes técnicos de todo estado”, mesmo porque, frisa, sempre demonstrou interesse em aprender, crescer profissionalmente, sempre sabendo “cavar” oportunidades que não lhe foram cedidas para alcançar seus resultados.

Quando secretariou o Superintendente em 1982, recebia autoridades como Prefeitos e Deputados que compareciam no gabinete, teve também que atuar na organização de eventos e solenidades, fatos estes que só lhe trouxeram muitos conhecimentos, possibilitando-lhe que a sua experiência fosse tomando vulto. Nesta época a experiência e apoio de sua amiga e madrinha Maria Olímpia Junqueira Mancini (aposentada do DAEE) foi fundamental.

Já em Marília, conta que, numa readequação da Diretoria da BPP, passou a atuar na área técnica com os engenheiros Roberto Minami e Júlio Cesar Vilagra (este último, hoje, na SABESP), em trabalhos voltados a celebração e acompanhamento de Convênios com as Prefeituras da região.

Grávida de seu primeiro filho, Suraya cursou e se formou bacharel em Administração de Empresas.

Em 1994, com a mudança do governo, mudou também o dirigente da BPP, e Suraya passou a assessorar a Diretoria.

Foi nessa década de 1990 que ela começou atuar em comitês de bacias hidrográficas no estado, organizando e participando de seminários, com o objetivo de mobilizar a sociedade para a instalação dos Comitês de Bacias dos Rios Aguapeí e Peixe, do Médio Paranapanema, do Alto Paranapanema e do Pontal do Paranapanema, todos com sede em municípios que integram a Diretoria da Bacia do Peixe Paranapanema-BPP.
Mais tarde, formou-se em Engenharia Civil (sua terceira faculdade meu Deus, não dá pra dizer que os técnicos do DAEE não são qualificados!!) buscando fortalecer o seu espaço profissional na Diretoria, assumindo, então, o cargo de Diretora de Departamento: única profissional preparada “na hora certa e no lugar certo”, brinca.

Nesta época iniciou também especialização em planejamento e gerenciamento de recursos hídricos. Esta é a área em que atualmente desenvolve suas habilidades profissionais, explica: os comitês são colegiados regionais, formados por Prefeituras Municipais, Representantes da Sociedade Civil e Representante de Órgãos do Estado que atuam na região, como o DAEE e a CETESB; nesses comitês, Suraya atua como Secretária Executiva Adjunta, enquanto representante do Estado. Atualmente está como Secretária Adjunta do Comitê de Bacia do Médio Paranapanema, Comitê de Bacia dos Rios Aguapei e Peixe, e do Comitê Federal do Rio Paranapanema. Por conta de todo esse trabalho, desde 2006, Suraya assumiu, representando os Comitês de Bacias do Brasil, a Presidência da Câmara Técnica de Educação e Capacitação do Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Durante muitos anos também foi Secretaria Executiva do Fórum Paulista das Bacias Hidrográficas, do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas e da Rede Brasil de Organismos de Bacias (até o final de 2013).

Suraya ressalta que como representante do DAEE, também é membro da Câmara Técnica de Educação Ambiental do Conselho Estadual de Recursos Hídricos.
Enfim uma gama de atividades muito especificas e técnicas sob a sua responsabilidade que são atribuições do DAEE perante a sociedade e os cidadãos.

Cita uma passagem interessante: a convite do governo do Peru, ela esteve por 03 vezes, com mais dois técnicos, naquele país para apresentar o processo de formação dos Comitês de Bacias no Brasil, realizando oficinas técnicas de capacitação para os técnicos e representantes peruanos. Apesar de não dominar a língua espanhola, não teve problemas na comunicação.

Mais uma vez reforça que seu trabalho atual é extremamente voltado ao público externo, por conta dos colegiados, coordenando atividades no âmbito federal e estadual, recentemente, em uma atividade de cooperação, esteve com o geólogo Emilio Carlos Prandi, no Estado do Maranhão, oferecendo uma oficina e apoiando a Superintendência de Recursos Hídricos do Estado na instalação dos primeiros Comitês de Bacias do Estado: o Comitê do Rio Mearim e o Comitê do Rio Munim.

Todas essas atividades demandam a realização de eventos e seminários, esclarece Suraya, citando que durante muitos anos apoia a organização do Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, evento que participam cerca de 1.500 pessoas.

Além disso, cita o Dialogo Interbacias de Educação Ambiental em Recursos Hídricos, evento idealizado no DAEE/BPP e organizado anualmente desde 2003 em São Paulo, e, como Presidente da Câmara do Conselho Nacional de Recursos Hídricos, os Encontros Formativos Nacionais de Educação Ambiental, o ultimo realizado em Ouro Preto, Minas Gerais, em 2013, onde contou com representantes de todo país.

Apesar de todas estas atividades Suraya atua também como assistente técnica do Diretor da BPP, engenheiro Denis Emanuel de Araújo (atual Presidente da Associação dos Engenheiros do DAEE) e como Diretora Social desta Associação.

Nós percebemos e Suraya ressalta a sua progressão profissional de estagiaria a Diretora de Departamento. Realmente uma pessoa focada e sempre em busca de evolução pessoal e profissional. Nada veio de graça pra ela, teve que lutar, se desenvolver, estudar, usar suas competências para chegar aonde chegou.

Destaca que em sua história no DAEE teve muitos nomes de profissionais que lhe trouxeram além de desenvolvimento, efetivamente “coisas boas e positivas”, assim como tudo na vida, procurou se distanciar de questões e pessoas que não compartilhavam de seus princípios.

Assim como outros entrevistados, Suraya, conclui enfatizando que o DAEE, apesar de todas as dificuldades que a instituição por vezes enfrenta, dá oportunidade de crescimento pessoal e profissional aos seus funcionários, mas, faz questão de frisar, depende de cada um aproveitar tudo o que lhe é oferecido. Este foi seu caso, lutou pelo que conquistou.

Desde a sua convivência profissional com Astor Dias de Andrade, quando admitida, até a convivência de seus filhos com os filhos dos seus amigos do trabalho, o seu progresso pessoal e profissional foi evoluindo pessoal e profissionalmente.

Formou uma linda família, da qual se orgulha, e alegra-se ao dizer que seus filhos sempre participaram das festas do DAEE, das Colônias de Férias, dos momentos entre amigos, tudo constituindo parte de sua história “tudo isso foi o espaço que conquistamos, eu e Mario Modaelli”.

Para encerrar todas essas lembranças, registradas em sua memória, Suraya lembra que a sua primeira experiência, em lidar na organização de grandes eventos, foi no seu envolvimento na recepção de participantes e do Cerimonial em audiência publica sobre o rebaixamento de uma barragem: o Valo-Grande, na Bacia do Ribeira e Litoral Sul – BRB, em 1982, de lá pra cá, continuou se aprimorando e hoje organiza grandes eventos.

O tempo de casa e as participações, cada vez mais especializadas e profissionais, realmente aprimoram os trabalhos destes profissionais, que se formaram na casa e foram sempre buscando melhorias para sua carreira e para a Autarquia.

Enfatiza que sua atual equipe de trabalho é bastante homogênea, sempre respeitando o limite de cada um, pois tem certeza de que ninguém consegue nada sozinho. O trabalho em equipe, neste tipo de atividade desenvolvida pelas Diretorias de Bacias é fundamental. Na unidade de Marilia, formou-se um grupo de profissionais e amigos, que compartilham além do trabalho, momentos de lazer em festas, churrascos, eventos, futebol, enfim um grupo muito bom.

Enfim, depois de tudo isto, podemos notar que nossa amiga Suraya Modaelli é uma grande profissional e mulher que se destaca naquilo que faz. Sempre em busca de aprendizado, evolução, fazer o melhor sempre, é uma mulher destemida, ousada, inteligente. Alias teria que ser mesmo, pois neste universo, masculino (área de engenharia), para chegar onde ela chegou, teve mesmo que ser deste jeito, um “jeitinho Modaelli” de ser, lutando sempre pelo que quer e buscando por novas conquistas.

Podemos dizer sem sombra de duvidas que o casal Modaelli é um exemplo para outros profissionais, pois é uma família que se formou dentro do ambiente de trabalho, sem se acomodar nunca, e que deixa um legado a autarquia e exemplo aos filhos.

Parabéns aos Modaelli e sucesso sempre.

Em tempo, mencionamos no inicio da entrevista que muita coisa mudou na vida de Suraya e Mario Modaelli: Um mês após esta entrevista eles perderam o filho amado Marinho, aos 25 anos, num acidente trágico de moto. Um filho maravilhoso, inteligente, bom profissional, irmão e amigo. Apesar de tanta dor estes pais maravilhosos, podem ver nos filhos o reflexo de si mesmos, afinal os dois filhos são e serão sempre pessoas especiais, pois receberam dos pais muito amor para se tornarem o que são.

Ao finalizar este texto, após um ano da entrevista, Suraya fez questão de registrar:
“Nossa família passou e passa por uma dura prova de fé, mas até neste momento a família DAEE foi muito importante, nos acolheu, nos confortou, nos ajudou a ficar em pé. Seguimos dando o melhor de nós, na certeza de que temos que ser o melhor em tudo o que fazemos. A vida tem que valer a pena. Às vezes encontramos no caminho pessoas que vão querer nos desanimar, nos puxar para baixo, mas também vamos encontrar muitas pessoas com brilho no olhar, profissionais sérios e competentes, que nos fazem sentir orgulho de fazer parte do DAEE. Aos nossos amigos, colegas de trabalho, muito obrigada por tanto carinho e cuidado com nossa família”.

Anúncios

1 Comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Familia Modaeli , sou um admirador de vocês, PARABÈNS, e um Natal de SAUDE,PAZ, e HARMONIA, extensivo a todos os servidos da Bacia.
    Abraços
    João Luiz


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.