Uma bibliotecária a frente da CADA/DAEE – Comissão de Avaliação de Documentos e Acesso – Patrícia Regina Vieira de Almeida.

13/03/2013 às 17:20 | Publicado em Sem categoria | 2 Comentários
Tags: ,

Patricia 008Aproveitamos para entrevistar neste mês a Responsável  pela Área que está na coordenação do trabalho de organização de documentos de arquivo no estado todo: Patrícia – Bibliotecária esta a frente da CADA – Comissão e Avaliação de Documentos e Acesso no DAEE.

Ela foi admitida no DAEE em agosto de 1976 como escriturária aos 16 anos na Divisão de Materiais, antiga ADM na Seção de Contas de Fornecedores, trabalhando com o Sr. Sávio Jardim Arantes e subordinados ao Eng. Tokio Hirata e Dr. Takahashi, permaneceu nesta área sete anos.

Após,  foi trabalhar na Biblioteca Central do DAEE, uma vez que cursava a Faculdade de Biblioteconomia.  A Biblioteca era subordinada à SAT- Assessoria Técnica e a responsável era a Dra. Marly Mingione.

A área técnica de Documentação e Biblioteca, não tinha aporte financeiro necessário para efetuar todas as aquisições de livros e atualizar as muitas publicações nacionais e estrangeiras, tínhamos, também, as assinaturas de periódicos, LEX e de diversas doações e empréstimos entre Bibliotecas. O acervo da Biblioteca Central era muito rico na área de Engenharia e Recursos Hídricos, e com o passar dos anos passou a ter muitas obras jurídicas.  Segundo ela, infelizmente, os profissionais da área de documentação Técnica foram se desinteressando em pernamecer no setor por não terem uma carreira e também pela falta de investimento nos setores de aerofotogrametria, relatórios técnicos e mapotecas.

No Setor de Documentação e Biblioteca trabalhou com a Kátia Rossana, Cleide Regina Hee, Maria Odete, Maria Luiza, Satiko Morita, Lucy Elene Ferraro, Bernadete Leite, Angela Pereira de Souza, Kinue Saito, Zuleide, Denise G. do Amaral,  algumas delas ainda em atuação no DAEE .

Em 1988, nasceu sua primeira filha e, em 1990 o filho. A menina chegou a ficar na creche do DAEE, porém como morava distante e era uma viagem para trazê-los foi comissionada para o Palácio do Governo na Biblioteca da AJG – Assessoria Jurídica do Governo. Lá ficou por um ano sendo convidada para fazer o Clipping do Governador na Assessoria de Comunicação. Foi uma época boa, mas, muito difícil, porque perdeu o irmão querido e amado de 33 anos. Diz que ela e a família sofreram muito com a doença dele. Mas Deus é tão maravilhoso que ela trabalhava somente 5 horas por dia, desta forma podendo estar presente e ajudar a mãe e também cuidar da  família.  Tirou dois anos de licença sem vencimentos para ficar com os filhos ainda pequenos.

Em 1997 voltou para o DAEE após a licença e foi trabalhar na DSD/SOM (área responsável pela O&M) com o Dirceu Selingardi e o Jorge Arruda. Nessa época, elaboramos o manual do protocolo e participamos do Programa da Qualidade no Serviço Público. Fomos indicados para atuar na CADA – Comissão de Avaliação de Documentos de Arquivo e também na implantação dos 5S no DAEE. Na sequencia (1999) foi convidada como secretária para auxiliar o Secretário Adjunto da Secretaria de Saneamento (Dr. Perosa e Dr.Lotufo) que iriam para a Rua Butantã.

Mudaram-se um ano antes da mudança do DAEE da Rua Butantã.  O Dr. Nelson Nashiro era o Chefe de Gabinete e o Dr. Hugo Marques era o Secretário. Ficou emprestada por um ano e quando o DAEE chegou à Rua Butantã, voltou para a SOM iniciando sua especialização na área da Biblioteconomia.

Foi muito bom porque aprendeu muitas coisas novas. Em 2002 terminou o curso, sendo então transferida para a Procuradoria Jurídica e lá juntamente com a Ana Maria Koch cadastraram e implantaram as Ações Ordinárias e Trabalhistas no Banco de Dados da PJU.

Mas como tudo são flores, quando achou que as coisas estavam bem… uma tragédia, sua mãe que foi Procuradora do DAEE (Dra. Maria Regina) sofreu um AVC hemorrágico aos 72 anos. Mas, segundo ela, como acima de tudo existe DEUS que sempre nos abraça e protege nos momentos mais difíceis, ela sobreviveu (e atualmente Graças a Deus se encontra bem com seus 82 anos).  Foi uma árdua batalha entre hospitais, UTI e recuperação domiciliar, dependendo de diversos profissionais. Mas a vida não é fácil, não é? E se fosse não teria graça e tampouco aprendizado. Eu digo que a minha vida é cíclica e entre sete e oito anos estou mudando. E assim, como não sabíamos se minha mãe ficaria em um casa de repouso ou não, foi convidada para trabalhar no CTH, aceitando.

Nessa época, se divorciou , ficando com os filhos.

No CTH aprendeu muito na área de Hidrologia com o Eng. Gré que lhe ensinou muitas coisas, desde medição de vazão, conhecer a Rede Hidrológica Básica do Estado de São Paulo, instrução sobre os diversos equipamentos para utilização em campo. Organizou os arquivos de documentação de dados plu e fluviométricos, alimentação e controle dos equipamentos e toda a documentação dos Projetos e os autos respectivos. Auxiliava na elaboração dos cursos que eram ministrados pelos engenheiros em regionais do DAEE e também no CTH. Continuava atuando na CADA simultaneamente atendendo as solicitações do Arquivo Público.

Em 2009 se casou novamente. Em 2010 o Arquivo Público do Estado, começou a ter grande representatividade no Estado. A política de gestão de documentos e as CADAS (Comissão de Avaliação de Documentos de Acesso) começaram a ser cobradas e exigiram uma representatividade mais preparada.

Bom, fez muitos amigos no CTH, mas como falou, após oito anos vou eu me mudar de novo! Só que já estava previsto que eu iria para a Rua Boa Vista e isto ocorreu em maio de 2012, justamente quando saiu o decreto estadual nº 58.052, que regulamenta a Lei Federal nº 12.527, que é a lei do acesso e da transparência.

A CADA, está vinculada a Chefia de Gabinete e, para esse novo desafio, conto com a parceria das colegas: Lucrécia Pelegrini e a Angela de Souza.

É muito bom poder fazer uma atividade em possamos nos dedicar a ela com carinho. Nos últimos anos fiz diversos cursos para poder atuar plenamente como a representante do DAEE.

O DAEE é muito rico em documentos e equipamentos e merece ter preservada a sua Memória. Temos um longo trabalho pela frente porque pretendemos organizar toda a documentação dos arquivos e criar um Centro de Referencia onde serão contempladas todas as bibliotecas, cedetecas, museus, acervo iconográfico, arquivos permanentes e definitivos, aerofotogrametria, entre outras.

É uma proposta que será executada em médio prazo (entre três e cinco anos), porque infelizmente e com as diversas mudanças ocorridas nos últimos anos no DAEE, que ocorreram de forma desordenada e desorganizada, fizeram um estrago considerável na documentação e faz-se necessário a adequação e adaptação do prédio onde se encontram os documentos no arquivo permanente localizados na Barragem de BIJU – em Mogi das Cruzes.

É necessário fazer a higienização, classificação e catalogação dos documentos, avaliação daqueles que podem ser descartados (com muito critério, aquisição de móveis adequados e também a adoção de sistema de banco de dados para todos os tipos de documentos e disponibilização através do Site do DAEE).

Acho importante salientar que graças a Deus, sempre fui muito feliz e nunca deixei de sorrir e ver a vida com alegria. Aliás, digo sempre que devemos rir porque a vida é bela, e principalmente porque somos filhos de Deus perfeito.

Fiz muitos colegas e amigos nesses anos todos no DAEE. Muito obrigada a todos.

Sucesso a nossa bibliotecária Patrícia, neste novo desafio com a CADA, que se torne um trabalho eficaz no sentido de melhorar a prestação de serviços públicos em geral.

Anúncios

2 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. A Patrícia é uma profissional séria, como muitas do DAEE. A nossa Autarquia teve a sorte de ter em seus quadros alguns profissionais que “vestem a camisa”. Muitas vezes não são reconhecidos pelos trabalhos que executam ou pela forma que se empenham para faze-lo. Parabéns pela homenagem e materia. Laureano/Júnior

  2. Patrícia, nós nos conhecemos há muitos anos, sempre gostei muito de você. Agora estamos trabalhado juntas, e como você mesma reportou em seu depoimento, somos parceiras, colegas de trabalho, atuamos na CADA, com o grande desafio de organizar a documentação do DAEE. Patrícia você é uma pessoa bonita, simpática, alegre e dedicada à família, te admito muito.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: