A Manutenção e Operação das Barragens do Alto Tietê, pelo Eng. Josemar Garcia dos Santos

07/11/2012 às 13:58 | Publicado em Sem categoria | 2 Comentários
Tags: , , ,

Em outubro, entrevistamos o Sr. Josemar Garcia dos Santos, que é formado em engenharia Civil pela Universidade de Mogi das Cruzes e atualmente é o Diretor da Divisão de Operação e Manutenção das Barragens do Alto Tietê.

As barragens que compõem o sistema Alto Tietê são: Ponte Nova, Taiaçupeba, Paraitinga, Biritiba Mirim, Jundiaí, Penha, além do Parque das Nascentes que está subordinado a sua Diretoria.

Nosso engenheiro e mineirinho Josemar, conhece o DAEE desde cedo, pois seu pai também foi servidor: Jovino Garcia dos Santos, motorista, admitido em 1968, morava na Vila Operaria de Biritiba Mirim.

Para aqueles que não conhecem as Vilas Operarias foram construídas pelo DAEE, no final da década de 60, para dar moradia aos servidores que ajudariam na construção das barragens, na época Ponte Nova e Taiaçupeba, estas vilas eram constituídas de familiares dos servidores do DAEE e das Empreiteiras, o Josemar, seus pais e irmãos, fizeram parte desta história. Foram à segunda família a se mudar para a vila de Biritiba: casa 17.

Lembra-se que sua mãe, um pouco mais velha que as demais moradoras, que eram na sua maioria, casadinhas de novo. Ensinou a varias delas, a fazer mamadeiras, cuidar e dar banho em crianças, cozinhar, etc. Sua mãe não tão mais velha assim era jovem também só que, já cuidava de 06 filhos.

Seu pai Jovino, logo seria convidado a se mudar para residir dentro da barragem de Ponte Nova, pois passaria a cuidar do setor agrícola: setor este responsável pelo plantio de frutas, verduras, legumes para abastecimento dos refeitórios da unidade e consumo próprio.

Na casa nova de 04 quartos, viveu com a família e tem boas recordações. A atividade do pai que consistia no plantio de frutas, hortas, lembra-se com carinho. Destaca que aqueles pés de caquis que têm até hoje em Ponte Nova foram plantados pelo pai, um autodidata que aprendia sobre a área sozinho.

Já adulto, participou de um concurso público e foi admitido no DAEE. Começou atuando no Estaleiro em Mogi das Cruzes como escriturário. Seu primeiro chefe foi Dr. Rubem La Laina Porto e depois nosso saudoso Segato.

Nesta área aprendeu muito trabalhando no campo da geotécnica, e na área de sondagem de solos, esta unidade do DAEE foi muito especializada nesta área, e até hoje ainda lida na área da topografia.

Segundo ele, sondagem é um meio de investigação do subsolo, para verificar a resistência, tipo e material do solo para poder iniciar a obra. É fundamental na área da engenharia.

Lembra-se do laboratório de solos, e do seu primeiro chefe que atuava neste campo: Eng. Itamar Camargo.

Nesta época chegou a cursar quatro anos da faculdade de Licenciatura em Ciências, mas como não conseguiria cargo na unidade onde trabalhava, foi incentivado a mudar e fazer engenharia.

Cursou, portanto 06 anos de engenharia civil à noite na Universidade de Mogi das Cruzes. Não foi difícil, pois já tinha base na área, facilitando o aprendizado.

Terminou o curso em 1987, continuando a atuar na DEO/DEA – Estaleiro, cujo Diretor Plínio Marques Junior.

Em 1987 foi emprestado para atuar na Barragem Móvel (Cebolão) junto ao Eng. Eduardo Vieira Fioratti, nas áreas da fundação e de concretagem.

Com o término das obras em 1989, foi atuar na construção do Parque Villa Lobos, obra do DAEE, juntamente com outros técnicos, dos quais destaca os Eng. Arnaldo Pereira, Paulo Emilio Tito Pereira, Newton Barcellos, Osmar Luiz Costa e outros, com os quais aprendeu muito.

Neste período da obra atuou “como se deve”, ou seja, do começo ao fim de uma obra: junto à desapropriação, cercamento, construção do sistema de drenagem do entorno e do parque, movimentação de terra, construção da portaria monumental, plantio de arvores, etc.

No inicio do Governo Mario Covas, retornou para Mogi, na DEO/DEA – Estaleiro, passando a ser secretario Executivo do Sub Comitê Tietê Cabeceiras, mudando totalmente de atividades, em sua nova função passou a desenvolver trabalhos relativos ao meio ambiente, agendar e coordenar reuniões deste grupo técnico, coordenar reuniões técnicas para a analise de projetos do FEHIDRO, lavrar as atas das referidas reuniões, etc.

Na terceira gestão como Secretario deste comitê, em 2005, houve a inversão de papeis com o Eng. Luiz Carlos Miya, passando a ser o suplente e este, o secretário.

Neste período foi convidado pelo Miya, seu antecessor no cargo de Diretor da Divisão de Operação e manutenção das Barragens do Alto Tietê, para ir trabalhar nas barragens atuando junto a:

  • Monitoramento dos reservatórios;
  • Controle de cheias/enchentes;
  • Reflorestamento das áreas do entorno das represas;
  • Educação ambiental;
  • Piscicultura;
  • Parque das Nascentes, etc.

Atualmente as barragens contam com um quadro de 37 servidores que atuam nestas áreas, além da manutenção e conservação dos próprios do DAEE, quadro insuficiente para a demanda de trabalho, porém reforça que como todos vestem a camisa e atuando de forma organizada, dão conta do trabalho, mas que está batalhando para aumentar o quadro de servidores da unidade.

Com o falecimento do Diretor da Unidade: Luiz Carlos Miya passou a assumir também as atividades e contatos políticos que o cargo exige: contato com Prefeitos, Vereadores, Secretários de Obras e do Meio Ambiente etc.

Agradece o aprendizado que teve no DAEE, aos vários técnicos super competentes com os quais trabalhou.

Na DEO na área de solos, topografia, sondagem e concretagem, fez um trabalho e teve um aprendizado que se orgulha. No Parque Villas Lobos, foi parte de uma historia de construção e aprendizado que faz questão de destacar, afinal aquele parque é lindo e muito utilizado pela população em geral. Já nas barragens a responsabilidade e a importância do trabalho, também o enchem de orgulho.

Menciona que gostaria muito de deixar uma pessoa preparada para sucedê-lo, já que o trabalho é muito importante e só com o tempo e experiência no dia a dia, poderia preparar um novo técnico para ficar no seu lugar. É um trabalho diferente do que os alunos veem nos cursos de engenharia, e só com a pratica e vivência é que se pode consolidá-lo, complementando o que é discutido em sala de aula.

Finaliza agradecendo tudo que aprendeu aqui e destacando o apoio dos familiares no dia a dia que são a sua esposa Eliete e seus dois filhos: André Mateus de 17 anos e Rebeca Paola de 20 que atualmente cursa o segundo ano do curso de fisioterapia.

Para que não pairem duvidas sobre a importância do Sistema Produtor Alto Tietê da qual fazem parte as barragens coordenadas por Josemar e sua equipe, preparamos uma matéria sobre o assunto, que vira logo em seguida a este post, esclarecendo informações e dados considerados relevantes.

Anúncios

2 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. O pouco que o conheço, percebi suas características principais: Competência, profissionalismo, educação e simpatia. Parabéns.

    • é verdade Jorge, muito competente e dedicado ao seu trabalho.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: