Eng. Eletrônico com atuação em Cooperativas de Telefonia Rural, Obras, Desapropriações, Comitês de Bacias e ainda “tuneleiro eletrônico” (especialista em túneis) por Carlos Hindemburg da Silva Marques.

26/10/2011 às 19:50 | Publicado em Sem categoria | 2 Comentários
Tags: ,

Nascido em 21/04/1954, em Queluz-SP, o Engenheiro Eletrônico e de Telecomunicaçõesde formação, hoje, 27/09/2011, registra que dentre os seus 57 anos de vida, 34 anos, ainda que incompletos, foram divididos com o DAEE, isto é, mais da metade de sua vida vem sendo dedicada a esta Autarquia, sempre com seriedade e muita dedicação. Casado há 31 anos é pai de três filhos, dos quais sente muito orgulho, uma vez todos formados, devidamente encaminhados e independentes, cada qual seguidor de uma carreira profissional: jornalismo, psicologia e direito. 

Foi admitido em 23/11/1977 como Engenheiro junto à extinta Divisão de Telefonia Rural, que funcionava no endereço Alameda Casa Branca, e, mais tarde, à Avenida Brigadeiro Luiz Antonio. Os serviços que exerceu nesse período consistiram em proceder a licitações, realizar compras de equipamentos para telefonia, efetuar testes dos equipamentos eletrônicos em geral em fábricas e em centrais telefônicas, enfim. Ressalta Hindemburg que, na maior parte, realizou trabalhos de campo em todas as Cooperativas de Telefonia Rural de São Paulo, o que lhe possibilitou conhecer todo o Estado. Nessa jornada, destaca, teve a oportunidade de atuar com os Engenheiros Hugo Butkeraitis, Shiguenobu Fugimoto, e Dr. Luiz Lucio Costabile Izzo. 

Por volta de 1983, na Diretoria de Engenharia e Obras, com o Eng. Alaor Dalnei de Oliveira Borges, atuou no “Caderno de Preços do DAEE”, cujos serviços eram efetuar orçamentos de obras e levantamentos e pesquisas de preços de insumos. Para melhor elucidar essa tarefa, cita o exemplo “se necessário desassorear o rio Tietê era preciso demonstrar o custo desse trabalho, com composição de preço: horários de utilização das máquinas, de pessoal e dos insumos, etc.”, conclui. 

Só no início de 1995, passou a atuar junto a BPB – Bacia do Paraíba e Litoral Norte, em Taubaté, onde suas atividades, desde então, passaram a ser concentradas no acompanhamento de tarefas voltadas aos Recursos Hídricos e outorgas: fiscalização de recursos hídricos e análise dos processos; esses trabalhos, em grande parte, são externos, junto aos municípios do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte, explica Hindemburg. 

Recorda-se também que ainda na DEO, atuou nos trabalhos relativos à desapropriação nas Barragens Jundiaí e Biritiba, bem como no processo de interligação (túnel) de Jundiaí/Taiaçupeba; para tanto, elaborava Laudos de Avaliação das Propriedades que seriam desapropriadas, para indenização aos proprietários, isto porque as mesmas seriam inundadas com o enchimento dos lagos. Desta forma, à equipe da qual fazia parte cabia estipular o valor para a indenização, esclarece, e os Engenheiros Alaor, Zoroastro Nunes de Queiroz, Gilberto Bartolomei Mendonça e Paulo Roberto Nepomuceno (Bana) integraram essa equipe de trabalho. 

Em paralelo aos trabalhos da Bacia, no DAEE, Hindemburg conta que também teve a oportunidade de atuar como Secretário junto a Câmara Técnica de Planejamento do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba e Litoral Sul, sendo seu Secretário por oito anos, por seis anos atuou como Membro da Câmara Técnica de Planejamento do Comitê da Bacia Hidrográfica da Serra da Mantiqueira, sendo durante três anos, Secretário e ainda foi membro também do Comitê do Litoral Norte por três anos. Neste momento, Hindemburg menciona o quão valiosa é a função do Comitê, isto é: elaborar plano de bacias e de situação dos recursos hídricos e também viabilizar e hierarquizar projetos para utilização dos recursos financeiros do FEHIDRO e os provenientes da cobrança pelo uso da água. 

Foi também Responsável pelo Escritório Técnico do DAEE em Campos de Jordão, como Suplente do Eng. Nazareno Mostarda Neto, hoje Diretor da BPB, recorda-se. 

Hindemburg resume que, ao longo do exercício de suas funções, pôde realizar tarefas diversificadas que lhe proporcionaram atuar junto a grandes profissionais, o que também contribuiu com a sua evolução. Ao DAEE diz que só tem a agradecer as oportunidades que lhe foram abertas, através das quais pôde também deixar registrada a sua contribuição, além de conquistar um grande número de amigos. 

Para finalizar, brinca e sorri ao se lembrar de um fato que ficou guardado em sua memória: “no túnel Jundiaí/Taiaçupeba havia o saudoso Consultor do DAEE Dr. Carlos Pesce que dizia que o DAEE deveria ter orgulho de possuir no seu Quadro de Servidores um “tuneleiro eletrônico, o único que conhecia: Carlos Hindemburg da Silva Marques”.

 Tais dizeres só tendem a resumir a personalidade e o constante espírito de colaboração de Hindemburg junto a este Órgão.

Anúncios

2 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Saudades do tempo da Alameda Casa Branca…

  2. Trabalhamos juntos no DAEE na Divisão de Telefonia Rural. Gostaria de reencontrá-lo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: