Ana Amélia Camarano – Especialista do IPEA comenta a situação da população do futuro e o seu envelhecimento

14/05/2010 às 13:02 | Publicado em Sem categoria | 3 Comentários
Tags:

Ana Amélia Camarano - Especialista em estudos sobre envelhecimento da população brasileira

O envelhecimento populacional é um dos grandes fenômenos mundiais. O Brasil é hoje um dos países que envelhece rapidamente e este é um dos desafios para o século 21, pois indica a necessidade de formulação de políticas públicas destinadas a atender a uma população com idade cada vez mais avançada, segundo a professora e economista do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) Ana Amélia Camarano, durante a palestra “Mudanças na população brasileira e implicações para as políticas públicas”, realizada na Emplasa, na última quinta-feira, dia 6/5/2010.

Em 2000, a população idosa correspondia a 14,5 milhões de habitantes.Para 2020,  projeção  é  de  que  o  contingente   alcance 30,9   milhões  de  idosos.
O processo de envelhecimento no país está relacionado à queda da taxa de fertilidade e à redução da mortalidade nas idades avançadas”, constata a professoraFatores como o uso de contraceptivos, que conseqüentemente influencia na redução do tamanho das famílias, e o novo papel da mulher na sociedade (melhor nível de educação, ingresso ao mercado de trabalho, por exemplo) podem explicar essas mudanças.

Especificamente os idosos fazem parte de um grupo que necessita de políticas especiais, pois é considerado um segmento dependente. Usando dados da PNAD 2008 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), a professora contou que 3,1 milhões de idosos não possuem autonomia, ou seja, são pessoas que não conseguem realizar atividades básicas, como se alimentar ou tomar banho sozinhas, e dependem da ajuda de outra pessoa, geralmente, da família. Outras 550 mil não têm nem autonomia nem renda para se manter. A maioria dos idosos é dependente de benefício previdenciário.

Para a especialista do IPEA, deveria existir uma política de cuidados voltada a esse público, como o Estado criar instituições que cuidem de idosos que não sejam apenas as filantrópicas, que são as mais comuns atualmente, e que trabalham com sua capacidade no limite; a existência uma rede de apoio às famílias de idosos composta por hospitais, centros de convivência formais. “É preciso ajudar a família a cuidar do idoso dependente”, avalia.

O envelhecimento da população também afeta a questão previdenciária. “Estamos num momento de crescimento a taxas elevadas de um segmento considerado dependente e num contexto de crescimento reduzido da população em idade ativa. É preciso pensar em quem está hoje no mercado formal de trabalho”. Segundo ela, com o modelo previdenciário vigente e a situação do mercado de trabalho atual, as perspectivas de renda para o idoso do futuro não são boas.

Anúncios

3 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Dra. Ana Amélia, há pouco tempo tive acesso a um projeto da senhora cujo título é “As instituições de longa permanência para idosos no Brasil” e fiquei muito interessada no assunto. Sou estudante do 7° semstre de medicina da FTC-Salvador. Gostaria de saber se existem critérios definidos para admissão dos idosos neste tipo de instituição, ou apenas o fato de ser maior de 60 anos. Desde já agradeço e aguardo retorno. Patrícia

    • Oi Patricia,a Prof. Ana Amélia Camarano é uma profissional do IPEA, talvez no site deles voce consiga passar suas duvidas a ela. Neste caso nós so tivemos acesso a esta materia através da Emplasa onde ela fez uma palestra. Nós limitados a assuntos de memoria dos nossos servidores e gerais sobre envelhecimento da população e afins.

      • Professora Ana Amelia: Uma vez que se começa a pensar, e impossivel fazer c aplicado para um grande significadoom que pare.Dou os meus efusivos votos de parabens, por esta aanalise que a Sra. faz sobre ¨¨os mais velhos no Mercado de Trabalho¨, vejo que a Senhora sabe e muito bem conjugar o verbo na Primeira Pessoa do Plural.Fiz a algum tempo um pronunciamento na Camara Municipal de Colatina ES sobre o tema pois me achava ainda util a Sociedade, pois no meu entender a idade¨NUNCA foi uma obrigatoriedade e sim uma consequencia.Nos dias atuais os empresarios nao querem saber de teoricos e sim de praticos, para que possam absorver os conhecimentos dos mais experientes para galgar passo-a-passo os degraus da escada profissional.
        Iniciativas como esta engrandecem o profissional ¨Mais Velho ¨, pois o Trabalho afasta de nos 3 grandes males: o Tedio , o Vicio e a Po breza.
        Mais uma vez sucesso nesta empreitada, continue dedicando sua vida aos outros, sua dedicaçao e um intenso esforço aplicado para um grande significado.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: