Birigui – Uma história de preocupação com o futuro de seus servidores e os “micos” destes fatos sérios

12/10/2009 às 15:01 | Publicado em Sem categoria | 1 Comentário
Tags: ,

Sabe aquelas histórias que se ouvem ao final das festas da Autarquia, está é uma delas. Antonio Carlos Vieira – Carlinhos de Birigui, apelidado de “Sarrafo” pros mais chegados, atua na BBT – Bacia do Baixo Tietê, desde 1978, atuou também em Mogi das Cruzes, retornando a Birigui em 1988. Começou como escriturário  chegando a Engenheiro, atualmente assistente do Diretor da BBT.

Segundo Carlinhos, havia nos anos 80, um servidor administrativo que estando muito próximo a aposentadoria, que começava a apresentar sinais de “caduquice”, como se falava antigamente, hoje conhecido como sinais de demência senil, ou azheimer, quem sabe, pois não havia diagnóstico na época. Tinha lapsos graves de memória, nem sempre tinha uma conversa com sentido, esquecia de muitas coisas, mas mesmo assim era um “pé de boi” pra trabalhar. Atuava no estoque do almoxarifado e às vezes no tempo livre ajudava na limpeza do pátio.

Portanto para que não tivesse que ser aposentado precocemente e perder financeiramente, o Diretor resolveu colocá-lo num serviço interno, sem grandes preocupações e que pudesse continuar a ser útil. Ficou portanto varrendo o pátio interno, onde ficava também o estacionamento dos carros dos funcionários. O pátio não era asfaltado, e com muitas arvores.

Na mesma época um outro servidor apaixonado por carros, especialmente “o seu”, zelava e cuidava do seu como uma relíquia, escolhia o melhor local pra estacionar, que não fosse com muito declive, na sombra, sem muita areia para não sujar os pés quando entrasse no carro, etc, etc. Chegava a ser chato de tanto cuidado.
Certo dia passando pelo local, Carlinhos viu o servidor que varria o pátio, olhando o carro deste servidor, a arvoré, o chão. Olhava o chão, o carro, o carro o chão, as folhas caídas sobre o capô, e assim vai. Carlinhos estremeceu (já antevendo o final disto) quando o viu pegar o ancinho (aquela ferramenta de jardim, de puxar folhas do chão – cheia de pontas) e começar a puxar as folhas sobre o capô do carro, era só um rinch, rinch, rinch ou seja o barulho da ferramenta riscando todo o capô do carro, e ele com olhar se satisfeito pelo dever cumprido. Carlinhos correu para pará-lo, já pensando nas consequencias que isto causaria. Não deu outra, na hora todos se dirigiram ao local, inclusive o dono do carro todo riscado, primeiro em estado de choque, depois pulando e se descabelando todo ao ver aquilo, faltou pouco pra infartar.E o servidor só olhando com aquele olhar ingênuo, não entendendo o porque disto tudo, afinal estava tudo limpo, sem folhas.

Foi um forrobodó total, resolvido internamente acho que com uma vaquinha entre amigos, mas a história ficou, destas duas figuras e deste fato, que na hora foi um estresse total, mas que hoje sempre que lembrado, são muitas risadas.

About these ads

1 Comentário »

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

  1. “SARRAFO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com. | O tema Pool.
Entradas e comentários feeds.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: